Escolha uma Página

Um diário e seus preciosos ensinamentos

Recentemente, ao receber os tesouros enviados pela Editora Pulo do Gato, uma parceria muito enriquecedora tenho que dizer, teve um entre eles que rapidamente roubou minha atenção, o livro, Diário de Blumka, escrito e ilustrado por Iwona Chmielewska. Eu fiz a primeira leitura assim que abri a caixinha que acabara de ser entregue pelo carteiro. Algo neste livro me fascinou de imediato. Talvez tenham sido as ilustrações de cores opacas, como se fossem antigas fotografias que contam por si a história. Talvez o interesse tenha surgido com a curiosa imagem de um senhor logo na capa. Eu queria saber de quem se tratava. As ilustrações pareciam ter vida e prenderam minha atenção.

 

O relato sobre vidas e os segredos de Blumka

A leitura foi uma grande surpresa. A autora e ilustradora Iwona Chmielewska, consegue delicadamente misturar fatos reais com ficção para permitir ao leitor um mergulho no universo das crianças que viveram neste orfanato, criado pelo Doutor Janusz Korczak, em Varsóvia na Polônia. São relatos e segredos que Blumka descreve em seu diário e que o leitor desvenda com ternura. As ilustrações ainda revelam os detalhes do cotidiano do orfanato com seus desejos, problemas e ideais de maneira muito emotiva. O destaque para a personalidade e a importância de cada criança dentro da atmosfera dos ricos ensinamentos do Doutor Janusz Korczak faz com que o leitor se sinta parte da história. Uma história que envolve, mexe com os sentimentos e encanta pelo valor que dá à vida.

 

Uma descoberta em cada criança

Conforme fui desvendando o livro, com muita emoção, conheci o Zygmus que estava sempre com fome, mas um dia devolveu um peixe ao rio para que continuasse vivo. A Reginka, que tinha o cabelo curto por causa de uma doença e que sempre vencia as competições quando a disputa era ler o maior número de livros. Além de ler muito, ela ainda contava as histórias para seus colegas todas as noites, melhor que a professora. Tinha também o Abramek, o melhor marceneiro da oficina do orfanato. Zymek que ganhou o prêmio de melhor descascador de cebolas, mas era do tipo que sempre aprontava alguma confusão. Encontrei essas e outras crianças incríveis que tiveram a oportunidade de reescrever suas histórias com dignidade e respeito dentro de um orfanato especial.

Este gracioso diário traz recordações que viverão para sempre e para todos nós. Blumka relata os ensinamentos do Doutor Korczak no dia a dia do orfanato. São lições que são descritas com muito carinho e gratidão. Segundo Blumka, o Doutor era tudo para as crianças e as crianças eram o mais importante para ele.

 

Ensinamentos do Doutor Korczak

Doutor Janusz Korczak costumava dizer, “às vezes não se aprende nada novo de um livro longo, mas muito de um curto”. Este é um livro curto e repleto de reflexões. Os ensinamentos do Doutor Korczak percorrem as páginas com sutileza e grandiosidade. Não há como não refletir sobre os métodos de um homem que educava para a paz. A história passa ao leitor a certeza de que o melhor ainda pode ser feito na educação e que é preciso com urgência refletir sobre exemplos nobres como este, onde o ensino se torna uma troca de aprendizado e experiências. Onde ensinar é um ato de afeto e respeito.

As lições do Doutor Janusz Korczak eram revolucionárias para a época. Atualmente, elas ainda possuem um imenso valor e precisam ser estudadas e reconsideradas diariamente. Blumka escreve que para o Doutor toda criança deve ser respeitada, o que significa que todas podem ser exatamente do jeito que são. Ela relata também que o Doutor sempre deixava que as crianças fizessem bagunça e barulho pois proibir uma criança de ser criança, ele diz, “é como ordenar que seu coração pare de bater”. Além de ensinar a todos que os meninos e meninas têm os mesmos direitos e deveres, e podem fazer as mesmas coisas.

 

A guerra

A Guerra veio. Durante a Segunda Grande Guerra, Janusz Korczak recusou-se a abandonar as 200 crianças carentes e salvar a própria vida. E neste momento, as ilustrações realmente contam o que não se tem coragem de dizer.

Janusz Korczak era, na verdade, Henryk Goldszmit, nascido em uma bem-sucedida família judaico-polonesa, na cidade de Varsóvia, Polônia, em 1878. Era conhecido pelo pseudônimo Janusz Korczak. O Doutor Korczak tinha uma consciência sobre a infância e o respeito às suas necessidades e vontades. Formou-se em Medicina e atuou como pediatra até descobrir sua vocação na educação. No fim da Primeira Guerra, o médico e educador construiu um orfanato em Varsóvia, e ali forneceu abrigo a 200 crianças judias, em grande maioria, órfãs, desamparadas e desrespeitadas pelas atrocidades da guerra. A pedagogia de Korczak se baseava na liberdade, respeito mútuo e na reconstrução da autoestima dessas crianças.

No pós-guerra, suas concepções resultaram na base para a elaboração da Declaração dos Direitos da Criança, em 1959. Entre seus conceitos pode citar-se: a rejeição da violência física e verbal contra a criança, educação de igualdade e interação entre adultos e crianças, e consideração pela individualidade da criança. Informações preciosas que são fornecidas no fim do livro como um anexo à história.

Diário de Blumka foi lançado em homenagem ao 70° aniversário da morte de Janusz Korczak, simultaneamente na Polônia e Alemanha.

Em um momento em que o mundo passa por tantos problemas, onde as pessoas parecem ter esquecido ou fecham os olhos para o terror que é uma guerra e para as inconsequências que trazem o conservadorismo, racismo e preconceito, penso que leituras como esta são fundamentais. São uma forma de protesto pela vida, pela liberdade e pela paz. Acima de tudo, um protesto pela educação, que é um direito de todos.

Terminei esta leitura com lágrimas nos olhos e, ao mesmo tempo, com aquela esperança que insiste em persistir e acreditar que tudo na vida ainda tem jeito. É preciso lutar pela vida.

Deixo para você, mais um ensinamento do Doutor Korczak. O Doutor nos ensina no Diário de Blumka que é necessário ler pelo menos uma página de um livro antes de dormir pois, segundo ele, não ler na cama é como se deitar sem se lavar.

Não esqueça de curtir, compartilhar e comentar.

 

Indicação:

Assista o filme: As 200 Crianças do Dr. Korczak, aqui.

Gabriella Teixeira é formada em Comunicação Social e trabalha como professora de Português como Língua de Herança na Suécia. Apaixonada por literatura infantojuvenil, em 2015, criou o projeto, Cantinho da história na Suécia, onde realiza diversas contações de histórias em português nas bibliotecas de Estocolmo e também em Uppsala.